A Enciclopédia das Ciências Filosóficas - 1986


Fitas de áudio sobre Hegel

Hegel
- A Enciclopédia das Ciências Filosóficas -
4º módulo de 4 semestres
Curso Ministrado por Henrique Cláudio de Lima Vaz - 1986
 
Informações sobre o curso:
 
1. Curso ministrado no primeiro semestre de 1986 na Universidade Federal de Minas Gerais. No primeiro semestre de 1985, Lima Vaz ministrou um curso de Introdução ao Sistema hegeliano a partir da Fenomenologia do Espírito. O curso do primeiro semestre foi gravado em fitas de vídeo-cassete. No segundo semestre de 1985, Lima Vaz ministrou o da Ciência da Lógica (curso que está gravado em 30 fitas cassetes). E no semestre seguinte (1º semestre de 1986) Lima Vaz ministrou este curso sobre a Enciclopédia de Hegel. Logo no início, Lima Vaz indica que o curso anterior ficou inconcluso por força de uma gripe que o impediu de comparecer nas últimas aulas. Todavia este curso não recomeça do ponto em que o curso anterior foi interronpido. Ele anuncia aos alunos novos que este é o último semestre de um curso que leva 4 semestres. Não fica muito claro se já forma 4 semestres e este é o quinto. Ou se este é o quarto semestre.
2. Curso gravado pelo Sr. Renato Gama.
3. Número de fitas: 14 fitas cassetes. Há um outro jogo de fitas com este mesmo curso gravado. Estas anotaçòes foram feitas a partir do conjunto de 14 fitas. O outro jogo não foi digitalizado. Há um problema com a numeração destas fitas. HÁ 14 FITAS. Mas quem as gravou começou numerá-las a partir do ZERO. Então a FITA 1 é a FITA 0, a FITA 2 é a FITA 1... A FITA 14 é a FITA 13. A numeração registrada neste catálogo começa com o número 1 e vai até o número 14.
4. Digitalizada em DVD.
5. Bom estado de conservação.
6. Tempo de curso digitalizado – aproximadamente 20 horas
7. Os textos que se seguem são apontamentos esparsos realizados pelo Prof. Dr. Rubens Godoy Sampaio a partir da audição de cada uma das fitas e têm como finalidade servirem como índice para a localização dos tópicos trabalhados ao longo das aulas gravadas.
8. Estes apontamentos não são um resumo do curso, nem a digitação das aulas gravadas.
9. Observações: Considerando a data da digitalização destas fitas, vale notar que as gravações em fitas cassete foram realizadas há exatamente 20 anos. Em decorrência do desgaste do tempo algumas fitas apresentam um certo grau de deterioração que impedem a digitalização perfeita de todo o curso gravado.
10. Digitalizado por Rubens Godoy Sampaio em julho de 2005.
 
Fita 01 – A – (fita 00) –
Esta fita é muito pequena. A quantidade de fita é pequena. E a aula gravada nesta unidade está reproduzida na FITA 02. Esta fita pode ser desconsiderada no conjunto das 14 fitas. Talvez seja este o motivo de ter recebido o número 00.
 
Fita 02 – A – (fita 01) –
Introdução histórica sobre a origem da ECF. Bibliografia.
A ECF é a expressão acabada do sistema hegeliano. É seu ponto de chegada. Mais completa obra so idealismo alemão. Síntese do idealismo alemão. Coroa e fecho do Idealismo alemão por causa do seu caráter sistemático. Demonstraçào da identidade da filosofia e s seu conceito.
Sobre o argumento ontológico. Descartes, Spinoza, Leibniz e Hegel... todos aceitam o argumento ontológico.
Equivalencia entre essência e existência.
Deus e a filosofia de Hegel
ECF é o ponto de chegada de todo o pensamento filosófico
 
Fita 02 – B –
Todas as grandes idéias do pensamento ocidental entraram na ECF. A idéia de uma nova história nos séculos XVIII e XIX.
História da Filosofia como demonstraçào da essência da filosofia.
A ECF demonstra a logicidade do real. As três partes da ECF:
Ciência da Lógica – o logos em si
Filosofia da Natureza – o logos no seu outro
Espírito – o logos na sua singularidade, no retorno a si, a partir do outro.
Logos, natureza e espírito são os três momentos fundamentais da ECF.
 
Fita 03 – A – (fita 02)
Temas que precedem a elaboração da ECF: Cultura (temática ideo-histórica) e Sistema (temática crítico-sistemática)
A ECF é um balanço da cultura ocidental.
Sobre Hegel em Iena e a estrutura sistemática de sua filosofia. Sobre a introdução ao sitema – a Fenomenologia do Espírito. Com Hegel a cultura ocidental alcançou o absoluto através da história, a partir da história; este é o fascínio de Hegel.
 
Fita 03 – B –
Sobre as condições e o processo da redação da ECF e a exigência do Ministro da Educação da Baviera. Sobre a paidéia.
 
Fita 04 – A – (fita 03)
Significado da ECF. O aspecto pedagógicoda ECF.
Espírito = humanidade. Fim da oriigem e gênse da ECF.
Aula de 17 de abril de 1986
Significação da ECF. Gênese da edição do sistema da filosofia.
 
Fita 04 – B –
Pressuposição fundamental: a identidade da forma e do conteúdo. A ECF quer demonstrar esta identidade.
 
Fita 05 – A – (fita 04) Significaçào da ECF. A relação com a História da filosofia. Sobre a organização e o método do conhecimento. O aspecto organizativo e metódico do conhecimento ocidental.
Sobre o filósofo Giovane Gentile, seu marxismo e o fascismo.
Início da análise dos 3 prefácios da ECF.
Preocupação dos prefácios: Hegel quer separar seu pensamento das tendências filosóficas da época (ceticismo e romantismo) , e que estavam muito aquém de sua filosofia
 
Fita 05 – B –
Sobre os prefácios. Um prefácio para cada edição da ECF. As críticas de Hegel ao Romantismo e ao ceticismo criticista.
 
Fita 06 – A – (fita 05)
O problema da relação entre filosofia e religião é o centro vital do projeto filosófico de Hegel.
 
Fita 06 – B –
Sobre a relação entre filosofia e religião. Sobre a religião da razão e a crítica hegeliana.
Aula de 08 de maio de 1986
Centralidade do problema religião/filosofia.
O discurso inaugural sobre a RCF em Berlim. Aula para todos os professores. Hegel ocupando a cadeira de Fichte. Aula inaugural . Discurso sobre a ECF.
 
Fita 07 – A – (fita 06)
A importância da universidade de Berlim. A filosofia e o sistema na ECF.
Filosofia e religião – visão de toda a realidade e visão fundamentada. A filosofia deve dar uma imagem racional do mundo
 
Fita 07 – B –
As características da filosofia
Aula de 15 de maio de 1986
Apresentação do Bourgeois e a tradução de Paulo Meneses.
Análise da aula inaugural em Berlim.
A tarefa da Filosofia para Hegel
 
Fita 08 – A – (fita 07)
O sentido da arte, da religião e da filosofia para Hegel. A história da Filosofia como história de sistemas que tentam tratar o problema do sentido.
O problema do dualismo – sujeito x objeto
A intuição (arte), a representação (religião) o pensamento (filosofia).
A Filosofia substituindo aquilo que até então era a fonte do sentido.
Os sistemas do Neoplatonismo, de Santo Tomás de Aquino e de Hegel são sistemas circulares.
 
Fita 08 – B –
Fim do comentário sobre o discurso inaugural de Berlim e o retorno para a introdução da 3ª edição da Enciclopédia.
§§ 18ss da Enciclopédia. Uso do texto de Bourgeois.
Sobre os herdeiros de Hegel na Califórnia, nos EUA.
A natureza da Filosofia
Aula de 22 de maio de 1986
Análise dos parágrafos da Introdução.
Como justificar teoricamente a gênese da filosofia na cultura ocidental.
 
Fita 09 – A – (fita 08 )
Caráter representativo da consciência. Definiçào de representação. Sobre a história e a gênese da filosofia na passagem do discurso narrativo para o discurso demonstrativo.
Relaçào entre sujeito e representação.
 
Fita 09 – B –
Gênese teórica da Filosofia
Sobre a representação e o pensamento. E a unidade das representações. Definição de Filosofia.
 
Fita 10 – A – (fita 09)
Filósofos como paradigmas da cultura ocidental.
A Civilização ocidental é a civilização da razão.
Aula de 15 de maio de 1986
Comentários dos §§ 18ss da Enciclopédia.
A Civilização ocidental é a civilização da razão.
Comentário do § 9º e sua nota.
Comentário do § 10.
Os 4 tópicos alcançados pelos 18 parágrafos:
1. a representação e o homem
2. gênese teórica da filosofia a partir da representação
3. gênese histórica da filosofia
4. estrutura do pensamento filosófico
 
Fita 10 – B –
O parágrafo 12º é o coraçào da introdução da Enciclopédia. Os §§ anteriores responderam à pergunta O QUE É PENSAR?. Porque a filosofia tem estas característias? Porque a Filosofia é o ato supremo de liberdade.
Sobre a natureza dialética do pensamento.
Sobre o sistema de Hegel e sua pretensão.
 
Fita 11 – A – (fita 10)
§ 13º - Gênese histórica da Filosofia.
O sistema de Hegel e suas características.
A relação entre o tempo e a filosofia.
A relação entre filosofia e história da filosofia
05 de junho de 1986
§ 13 - A relação de sistema e história
A circularidade e a autosuficiência do sistema.
O autoengendramento do sistema.
§ 17 – o começo da filosofia e a decisão de filosofiar. O problema do começo da filosofia.
 
Fita 11 – B –
§17 – Filosofia como sistema.
Mostrar a filosofia como princípio organizador, como entelecheia.
Tema do começo da filosofia.
A divisão da Enciclopédia: os estóicos dividiram a filosofia em LOGOS, PHYSIS E ETHOS. Esta é a mesma divisão da Enciclopédia.
O fluxo da exposição do sistema.
§§ 19-25 – Conceito preliminar da lógica. O que é o lógico – explicaçào de Hegel
 
Fita 12 – A – (fita 11)
Distinção entre representação e pensamento. A filosofia é a transformação da representação em pensamento e do pensamento em conceito.
12 de junho de 2006
A passagem do lógico para a natureza. Bilbiografia sobre o tema.
 
Fita 12 – B –
As críticas ao Sistema de Hegel: Schelling, tredelenburg e Marx criticam a passagem da lógica para a natureza. Como se realiza a passagem.
A aplicação do argumento ontológico em Hegel.
 
Fita 13 – A – (fita 12)
Definição de natureza como nova dimensão da idéia. Natureza é a idéia retornada na imediatidade do ser, a idéia como totalidade, como unidade absoluta do conceito e da realidade. Equioriginariedade entre lógica, natureza e espírito. Circularidade não causalidade linear.
Hegel reformula a idéia platônica. Relação entre idéia e natureza. Hegel e a idéia da criação.
 
Fita 13 – B –
Hegel e a idéia de criação.
19 de junho de 1986
Parágrafos 574, 575, 576 e 577.
Últimos parágrafos da Enciclopédia.
Hegel estuda nestes parágrafos o que é a filosofia.
Os silogismos da Filosofia. Citação de Claude Bruère e teunissen.
Retomada da direita hegeliana por estes dois autores
 
Fita 14 – A – (fita 13)
As interpretações dos silogismos – 3 silogismos. O autoengendramento da filosofia. A resolução e a superação da divisão sujeito/objeto.
Os 3 silogismos: dispor as formas da identidade entre sujeito e objeto.; 3 chaves de leitura; 3 perspectivas, enfoques do conceito de filosofia
 
Fita 14 – B –
Os silogismos. O 1º e o 2º silogismos tratam da manisfestação da filosofia.O 2º silogismo é o silogismo do ato de filosofar. O 3º silogismo trata da ideía da filosofia, da identidade do ser e da manifestação.

PESSOAS ONLINE

Temos 36 visitantes e Nenhum membro online